quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Vem que vento.

  Você vem e bagunça tudo, como um vento que entra pela janela, derruba foto, joga os papeis no chão, apaga o fogão e bagunça meu cabelo. O problema é que desde de pequena eu gosto de vento, da sensação que ele dá de que vamos voar, da liberdade, do frescor e, agora, de você.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Observo-te. Observa-me?

  Me olha, me olha de novo, me enxerga além das roupas, além das curvas, além do pratico, me vê por dentro, se vê dentro dos meu olhos.
Eu espero você cansar de me olhar pra me aproximar, eu espero a troca de olhares acontecer pra te abraçar. Porque, tem abraço que parece beijo e tem olhar que parece afago. 
  É o verde dentro do verde, é vontade animal contida no meio social, é tão simples e tão gostoso que a gente até complica. 
Só sabe quem sente e ponto. Não tem mais, nem menos; não tem ela, nem ele; tem só quem sabe, quem vê, quem gosta, quem ama.