segunda-feira, 27 de junho de 2016

Surto

    Existem duas opções nos relacionamentos, ou você fica com a pessoa pra sempre ou em algum momento vocês romperão, ambos são igualmente assustadores.
Penso se algum dia terei alguém "para sempre", já que adoro ficar sozinha vivendo o mundo criado na minha cabeça e canso muito rápido da rotina estafante, que é o que os relacionamentos mais antigos demonstram ser e permanecer.
Vivo com um exemplo perfeito de casamento feliz e duradouro dentro da minha própria casa, que obviamente não é nada perfeito, mas que de algum modo as imperfeiçoes os mantem juntos e felizes ao seu modo, e eu não quero isso pra mim.
Tradicional demais, rotineiro demais, tranquilo demais, sem fogo demais, mesmice demais.
   Existem as mãos dadas que significam companhia e existem as que significam vontade, no primeiro caso fica bem claro que até é amor, mas é o amor do costume, o fácil; já o segundo é o querer ficar junto maior que tudo e todos os motivos que vão contra, é um amor que nunca deixa o fogo da paixão se apagar, e é esse que eu queria pra sempre na minha vida.
Temo ser uma ilusão o meu desejo, sinto que o tempo age de muitas maneiras, positivas e negativas, sob as relações e os sentimentos, e acaba sendo cruel com o amor e os seres que se amam.

   Será que ficar mais velho é isso? Ver que tudo ao seu redor te empurra pra seguir os passos de seus pais, o caminho do comodismo, aquele trabalho que você não suporta, na busca por aquele bem material que você não precisa?

Eu quero gritar, mas não posso. 
Alguem me tira daqui, passa aqui e me tira dessa realidade assustadora de pessoas casando, tendo filhos, se tornando seres responsáveis e, pior, respeitáveis na sociedade. 
Eu não quero isso. Não é isso que meu coração pede e meus sonhos encaixam.

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Há três coisas que eu estou desejando muito ter agora, as 3:32 da manha da segunda feira:

-meus cigarros
-10g
-você

não necessariamente nessa ordem.